Loading...

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

EDDY NO PROGRAMA AMAURY VALÉRIO - RÁDIO ONDAS 97,7 FM


É COM MUITO ORGULHO QUE COMUNICO AOS FÃS E PESSOAS QUE ADMIRAM MEU TRABALHO, QUE SOU A MAIS NOVA CONTRATADA DA RÁDIO ONDAS, PELO PROGRAMA AMAURY VALÉRIO !

A PARTIR DE SEGUNDA FEIRA DIA 30 DE SETEMBRO EU ESTAREI AO VIVO DE SEGUNDA A SEXTA DE 8:00 ÀS 11:15 DA MANHÃ DANDO DICAS DE BELEZA, FOFOCAS, FALANDO SOBRE NOSSAS NOVELAS PREFERIDAS, MUNDO DOS FAMOSOS E TUDO DE MAIS ESSENCIAL QUE QUE UMA MULHER MODERNA E ANTENADA PRECISA SABER PARA TER ASSUNTO EM UMA RODA DE CONVERSA DA ALTA SOCIEDADE.

ENTÃO, À PARTIR DO DIA 30 INVADIREI A CASA DE VOCÊS PELO RÁDIO E PELA TV, JÁ QUE O PROGRAMA É TELEVISIONADO E PASSA NO CANAL 10 DA TV COSTA DO SOL !

ENTÃO É ISSO QUERIDAS, AGORA EU TO NA RÁDIO ONDAS 97,7 FM.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

EU ADORO PARADA GAY.

GOSTO DE PARADA GAY.

NELA VOCÊ ENCONTRA DE TUDO:

GRUPINHOS DE GAY COM COMBOS CARÍSSIMOS DE KOMAROF COM GARRAFÃO DE MAD DOG.

TRENZINHO DE SAPATÃO GRITANDO: A PARADA É NOSSA, AHA, UHUUU!

A BICHA SOZINHA ESQUECIDA PORQUE BEBEU DEMAIS SENTADA NO PARALELEPÍPEDO PERGUNTANDO SE VOCÊ NÃO VIU AS AMIGAS DELA.

A SAPATÃO QUE 3 DA TARDE JÁ DESTRUIU A PARADA DO GRUPO TODO PORQUE PRECISA SER LEVADA PRA UPA.

O CASAL DE EX QUE DIZIA QUE A AMIZADE CONTINUOU, MAS UM VIU O OUTRO COM O ATUAL ,SAÍRAM NO CACETE E SOBROU UM SOCO NA CARA DE UMA AMIGA QUE NEM DE BRIGA É.

A GAY QUE GASTA O DINHEIRO TODO E PARA DO SEU LADO NO FINAL E FICA OLHANDO PRO SEU CACHORRO QUENTE.

A SAPATÃO CACHACEIRA QUE FOI ESQUECIDA PELA CARAVANA E TEM QUE PEDIR DINHEIRO PRA PODER IR EMBORA.

A GAY QUE VOLTA CHORANDO PORQUE FOI FERVER E SÓ DEPOIS DEU FALTA DO CELULAR.

AS MONTADAS QUE NO FINAL ESTÃO COM 2 SOBRANCELHAS PORQUE A MAQUIAGEM JÁ DERRETEU TODA E A PERUCA TODA TORTA DE TANTO QUE OS BOFES E OS ERÊS PUXARAM.

AS GAYS QUE FINGEM QUE NÃO SÃO GAYS E VÃO TODAS DE PRETO FAZENDO A LINHA GÓTICA.

O BONDE DAS PUTAS QUE SÃO AMIGAS DE VIADO E VÃO PRA PARADA SEM CALCINHA PRA BEIJAR NA BOCA.

AS BICHAS LADRAS QUE VOLTAM PRA SUA CIDADE COM 2 CELULARES E CÂMERA FOTOGRÁFICA.

NA PARADA GAY TEM DE TUDO MESMO, TEM ATÉ AS ESTRANHAS QUE VÃO ALI PRA LUTAREM POR DIREITOS.

terça-feira, 3 de setembro de 2013

ATO 7 : TOMATES MADUROS ASSADOS. Paola e Dagoberta. Duas irmãs, um só destino




Tirando o sangramento no nariz, Paola estava animada na escola.

Cantarolou cantigas de roda, saboreou a deliciosa canjica que levara para a escola e pela primeira vez foi paquerada nos corredores.

Era Waldo, um autista recem chegado ao Saint Martin e que fora transferido de um manicômio em Terezina.

Trocaram olhares, sorriram, ele colocou o pênis pra fora no meio do pátio, ela riu e ele foi novamente transferido de colégio deixando Paola um pouco triste.

Dagoberta não se entendia com a aula de canto, gostava de pontos de umbanda e a professora da aula era Protestante. A obrigava a cantar musicas de Ana Paula Valadão, com quem Dagobertas sonhou varias vezes estar penetrando com um vergalhão e depois degolando como oferenda aos deuzes pagãos.

Os alunos do protesto estavam na enfermaria apavorados, enquanto um  gritava com a enfermeira que sangrava pelos ouvidos, uma menina desesperada reclamava que não sentia as pernas e se arrastava em direção a porta.

Essas duas meninas tem algo a mais, pensou a diretora do Saint Martin, precisamos fazer algo. Elas trazem a miséria e a desgraça para essa escola e ligou para Padre Quevedo.

No pátio da escola um grupo de aproximadamente 60 alunos observavam com estranhesa Dagoberta tocando violino nua e proferindo palavras sacras em aramaico e latim.

Cancelaram as aulas, dispensaram os alunos e levaram Dagoberta para a sala da diretoria.
Lá ela alegou que tomava remédios controlados, era negra, lésbica, deficiente física e asiatica, ou seja.

expulsa-la no mínimo faría a escola fechar por preconceito e a diretora seria exonerada.
Pode ir pra casa docinho.

E lá se foram as duas incognitas,

Braços dados como se o mundo não existisse....como se fossem normais, como se nada importasse.
Paola sentiu o sangue esvaindo e disse :

fiquei mocinha.

Dagoberta comemorou:

Chegou a hora.

Continua

sábado, 31 de agosto de 2013

ATO 6: CHOCOLATES PARA MARY. Paola e Dagoberta. Duas irmãs, um só destino


Mesmo com todas as mudanças no abrigo, algo as deixou preocupadas.

Seu quarto continuara intacto, a mesma roupa de cama manchada de sangue, os mesmos cotonetes sujos, os mesmos modess usados dentro do pote de biscoito, as mesmas larvas comendo o rato morto do canto da parede.

Nada foi violado, nada foi perturbado.

Embaixo da cama dormia o Dragão de comôdo que Paola alimentava com carne humana.
Ta aí o motivo dela cortas as outras órfãs com canivete sem explicação alguma.

Sentaram na cama, se abraçaram, sentiram os corpos ficarem quente, a respiração ofegante e o suor descer as têmporas.

Uma tocou no seio da outra e Paola disse:
Eu queria ser a Nick Mnaj
e Paola retrucou: Eu queria ser a Sara Jessica Parker
Quem é essa?
Não sei
e pegaram no sono.

Foram acordadas por uma luz muito forte que vinha da janela e quando fora olhar o que era, um corvo se chocou com o vidro deixando uma marca de sangue.

Paola se assustou e quando foi olhar o corvo caido no beiral, mais 2, 3, 6, 9, 50 outros corvos se chocaram com a janela deixando-a assim lavada de sangue animal.

Dagoberta lembrou do pergaminho do estranho homem na porta da escola, a situação pedia isso! Pensou...levantou os braços e gritou em uma voz ensurdecedora:

GOSTA TI NA VIDA PASSARINHO, VOA, VOA, VOA

E na mesma hora todos os pássaros que ali estavam caídos.....
continuaram caídos.

Um se cagou de dor e morreu também.

Vamos dormir Dagoberta, disse Paola puta da vida.

E Dagoberta decepcionada se cobriu com uma folha de jornal e pensou:

Ao menos na casa de Marli sapatão eu tinha um edredom de flor.
Pela manha a saúde pública foi recolher os pássaros e comunicaram ao abrigo que algo estava interrompendo o campo magnético da terra, que era como se algo tivesse atraído a revoada de corvos para a janela de Paola e Dagoberta.

A assistente Doroth tentou conversar com as meninas em vão. Elas também eram alheias aos fatos.

e as mandou para o colégio.

Chegando na escola elas foram surpreendidas por um manifesto dos alunos com placas escrito:

QUEIMEM AS BRUXAS, AQUI NÃO GAVIÃO, XÔ PAVÃO MISTERIOSO, DONA REDONDA VAI EXPLODIR.

Dagoberta protegeu a irmã embaixo do braço e apenas disse três palavras que marcaram os alunos para sempre:

CHUPA MINHA XANA!

E foram assistir a aula.

CONTINUA...

ATO 5 " De volta ao lar " . Paola e Dagoberta. Duas irmãs, um só destino

Quando chegaram em casa tiveram a notícia:

Marli havia sido presa por trafico internacional de animais silvestres.

Na frente da casa, dezenas de caixas com Araras azuis, tamanduas ( não sei porque tem gente que compra tamandua ) Lobos Guarás, elefantes brancos e dromedários furta cor.
Celso Russomano indignado com tamanho comércio ilegal gravava matéria para seu programa.
Sentada na varanda estava Doroth, a assistente social novamente, a qual Paola e Dagoberta tinham pavor  pela época do abrigo.

Olá meninas ! disse Doroth sorrindo. Vou precisar levar vocês novamente para o nosso lar.
Dagoberta respondeu: OK CHICO XAVIER, mas que fique claro, qualquer agressão sofrida por mim ou minha irmã serão denunciadas para o FBI.

De uma certa forma elas estavam tranquilas com a prisão de Marli, pois a sensação de morte estava próxima demais.

quando entraram no carro de Doroth avistaram a cadeirante que discutia com Marli as observando de cima do telhado da casa e ficaram perplexas.

Quem seria aquela mulher? O que ela queria? Quem é a mãe de Paloma da novela?

Não sei: Respondeu Paola. Acho que é a vó dela.

Isso não fez o menor sentido Paola. Respondeu Dagoberta.

A chegada no abrigo foi sombria, gélida e enigmática.
impressionantemente todos os internos haviam mudado e o cheiro de osso queimado era insuportavel.
Que cheiro é esse? Perguntou Dagoberta

é sopa! Respondeu Doroth

Foi quando o impossível aconteceu.
Um lobisomem pula da sacada  e no fundo a musica de Saramandaia invade o ambiente.

Paola e Dagoberta apenas se viram de costas e perguntam:

Onde é nosso quarto?

Por ali: Responde Doroth.

E elas se encaminham para o dormitório profundamente infelizes.

O lobisomem decepcionado disse: POXA....

CONTINUA...

ATO 4 " MISTÉRIO " Paola e Dagoberta. Duas irmãs, um só destino

ATO 4 : Mistério

Na escola o dia estava como qualquer outro.

Não sofriam mais bullyng porque aprenderam a se defender com spray de pimenta habanero e sempre andavam com um saquinho de sacolé com sangue de porco que estouravam na pessoa quando alguma ofença era proferida, o que causava a maior confusão sempre, até porque os porcos do bairro iam desaparecendo um a um e todos sabiam que não era verdade quando as duas diziam que viram o chupa cabra olhando pra elas na janela do quarto com um porco na mão.

Elas tinham graves problemas de aceitação e convivência , mas tudo era relevado pela história que elas contavam, cada hora diferente por sinal, chegando ao cumúlo de Dagoberta contar pra Orientadora que tinha certeza que era filha de Eike Batista e quando a orientadora perguntou como ela sabia ela respondeu que até vontade de atropelar pessoas inocentes num carrão do ano ela tinha.

E mais uma vez era encaminhada para a psicóloga da escola que morria de medo dela porque em todas as consultas ela só queria falar de bruxaria e vudú africano.Chegou a levar um rato dissecado com uma cruz de prata dentro com o nome da psicóloga que passou um mês achando que seu cabelo não parava de cair.

Ela sabia mexer com o psicológico das pessoas e isso servia para proteger a si mesma e a irmã. Muito normal essa defesa , explicou Dr Drausi Varella em coletiva sobre as duas em determinada universidade .

Mesmo com toda calmaria esquisita, Paola sempre estava a postos para se o mundo começasse a desabar novamente. Tinha canivete, saca rolhas, uma biblia para exoscismos caso precisasse e um tradutor de linguas estranhas que ela mesma inventou e que na verdade, qualquer que fosse a frasse dita ela entendia como SATANÁS.

Elas de fato eram muito misticas, acreditavam desde o horóscopo que liam todas as manhãs a uma torrada que caia com a geléia de cabeça para baixo que elas entendiam como mudança de carma e morte iminente.
Era muito complicado conviver com elas.

Na saída da escola , antes de entrar na Van, Dagoberta largou todos na fila, disse pra Paola esperar imóvel e correu em direção a um arbusto que se mexia sozinho.

Pulou encima de um homem com roupa da ku klux klan que portava uma maquina fotográfica com lentes super potentes na direção das duas.
Quem te enviou? Gritou a menina. Quem te enviou?
e o homem conseguiu fugir deixando para tras um pergaminho antigo que dizia.

GOSTA TI NA VIDA PASSARINHO, VOA, VOA, VOA

e Dagoberta depois de acalmar-se, entrou na Van e foi para casa.

Hoje é dia de oração, vamos embora

E Paola fixa na foto de sua mãe dizia.
Minha mãe está viva.

CONTINUA.....